expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Muro de gelo é testado como opção para evitar vazamentos em Fukushima

Terremoto e o tsunami de 2011 provocaram o pior acidente nuclear desde o de Chernobyl

Técnicos trabalham próximos a reatores da usina nuclear de Fukushima
A operadora da usina nuclear de Fukushima informou nesta sexta-feira (1) que começou os testes para construir um muro de gelo subterrâneo no local e evitar assim novos vazamentos de água radioativa ao mar. A expectativa inicial da Tokyo Eletric Power (Tepco) era erguer essa barreira em março, mas uma série de acidentes de trabalho obrigou a operadora a paralisar o processo. 

O projeto, elaborado em junho de 2014, consiste na criação de um perímetro de gelo subterrâneo de 1,5 quilômetros ao redor da estrutura que abriga quatro reatores danificados durante o terremoto e o tsunami de março de 2011.
Os técnicos começaram os testes em 18 pontos nos quais os encanamentos e outros elementos enterrados sob o solo complicam o processo de congelamento.

O muro será construído inserindo outros 1.500 canos ao redor dos quatro reatores e seus respectivos edifícios de turbinas, até uma profundidade de 30 metros. Através dessa estrutura, será injetada uma solução salina a uma temperatura de -30ºC, que congelará a terra em contato com os canos, criando assim uma barreira de gelo que pode evitar a entrada de água subterrânea dentro da usina.

Dessa forma, a Tepco pretende evitar o crescimento do volume de água radioativa acumulada em Fukushima, líquido que poderia vazar depois de volta ao oceano Pacífico.

Por enquanto, os técnicos começaram a injetar a solução em 58 encanamentos espalhados nos 18 pontos estabelecidos. A operadora não sabe quando os testes serão concluídos, mas espera-se que o processo dure várias semanas.

O terremoto e o tsunami de 11 de março de 2011 provocaram em Fukushima o pior acidente nuclear desde o de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário