expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Delator diz que transferiu dólares para conta de Eduardo Cunha no exterior

Na Operação Lava Jato, o empresário João Augusto Henriques confirmou ter depositado dinheiro numa conta no exterior do deputado Eduardo Cunha, do PMDB. O depoimento foi na sexta-feira (30), ao juiz Sérgio Moro.
O empresário João Augusto Henriques é apontado pelas investigações como lobista do PMDB no esquema de fraudes na Petrobras.

Ele confirmou pro juiz Sérgio Moro que transferiu cerca de US$ 1 milhão pra uma conta no exterior que, depois veio a saber era do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do PMDB.

Moro: O que é essa história dessa transferência para o senhor Eduardo Cunha?
Henriques: Isso aí foi o que eu te falei. Eu queria pagar ao filho do Fernando Diniz porque ele já tinha morrido, e a conta que ele tinha me dado eu soube depois que era do Eduardo Cunha.
Moro: E quanto que foi essa transferência?
Henriques: ah... Foi um milhão e pouco. Quando foi?
Moro: Não, quanto foi.
Henriques: Foi um milhão e pouco.
Moro: De dólares?
Henriques: É
Moro: E quando foi, aproximadamente?
Henriques: Quando foi? Foi em 2012, 2013, por aí. Não tenho mais ou menos a data.
   
João Henriques confirmou que o pagamento era relativo ao fechamento de um contrato da Petrobras em Benin, na África.

Na mesma ação o ex-diretor da área internacional da Petrobras Jorge Zelada foi interrogado, mas ficou em silêncio.

O ex-gerente da estatal Eduardo Musa e o engenheiro Hamilton Padilha, apontado como lobista, também prestaram depoimento.

Os delatores confirmaram ao juiz Sérgio Moro que houve pagamento de propina em contratos da Petrobras para o aluguel de navios sonda, usados para exploração de petróleo e gás em águas profundas.

Por meio da assessoria, Eduardo Cunha respondeu que nunca recebeu vantagem indevida de quem quer que seja.

JORNAL NACIONAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário